Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page
votação
Qual Desses Animais Mais Gosta
Cachorro
Gato
Papagaio
Tartaruga
Peixe
Piriquito
Cagado
Cobra
Ver Resultados

Rating: 3.1/5 (3477 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...


Tudo Sobre Aves
Tudo Sobre Aves

As aves existem no mundo há 210 milhões de anos. São diversas as espécies que encantam crianças e adultos como pinguins, canários, periquitos e o famoso pombo-correio.
A presença de pássaros dentro de lares é cada vez maior. Eles são garantia de uma ótima companhia.

Conheça algumas espécies de aves:

Agapornis  

Agapornis

 

Este periquito tem origem nas florestas tropicais de África, podendo ser encontrado desde a Costa Atlântica até a Costa do Índico.
Colorido, divertido e brincalhão são os adjetivos que esta ave mais recebe. No entanto, pode não ser sempre assim. Estas aves devem viver sempre em casais. Um elemento apenas torna-se triste e reservado numa primeira fase, e numa fase posterior pode vir a morrer de tristeza. Essa necessidade de viver aos pares leva a que sejam conhecidos por Inseparáveis ou Aves do Amor. Já o contrário não é verdade, isto é, a presença de outros indivíduos não os incomoda. Se tiver espaço, pode juntar vários casais, e pode fazê-lo com toda a segurança, que eles vão adorar, já que no estado selvagem vivem em grupos constituídos por muitos casais.
Existem nove espécies de Agapornis. No entanto, as mais vulgares são quatro: Fischer, Personata, Nigrigenis e Roseicollis. Esta última é, sem dúvida, a mais popular e a que com mais facilidade encontra no mercado.
O Agapornis tem tamanho variado, dependendo da espécie, mas pode variar entre os 14 e os 16cm, e vive entre os 10 e os 15 anos.

Andorinhas

Andorinhas

 

 

As andorinhas são um grupo de aves passeriformes da família Hirundinidae. A família destaca-se dos restantes pássaros pelas adaptações desenvolvidas para a alimentação aérea. As andorinhas caçam insetos no ar e para tal desenvolveram um corpo fusiforme e asas relativamente longas e pontiagudas. 
Os ovos, brancos, são chocados pelo casal, que dorme junto no ninho, fato incomum entre as aves. A incubação dura 15 dias, em média. Os pais se revezam na alimentação dos filhotes, que começam a abandonar o ninho com cerca de um mês de vida. Após a reprodução, todas as espécies vistas no sul do Brasil, empreendem extensas migrações, dirigindo-se para o norte à procura de alimentação mais farta. 
A maior espécie do Brasil, entre as 14 de ocorrência já registrada, é a andorinha-grande (Progne chalybea), de cauda bifurcada, que mede 19,5cm e pesa 43g. Azul por cima, tem o peito castanho-cinzento, ladeado também de azul. Uma das menores, e das mais comuns nas cidades, é a andorinha-pequena-de-casa (Notiochelidon cuanoleuca), que mede 12cm de comprimento e pesa apenas 12g.

Araras

Araras

 

As araras são dóceis e com um instinto apurado. Se habituadas desde filhotes, podem conviver de uma forma muito agradável com humanos. Um fator importante a ser levado em consideração na escolha da ave, é que uma arara precisa dos mesmos cuidados que um cão, um gato, ou qualquer outro animal, e vive mais tempo que estes animais. Muito dependente, o animal pode apresentar perturbações de comportamento e deficiência na plumagem, se não receber a atenção necessária.
Essa espécie, não pode ser colocada com aves de menor porte na mesma gaiola.

Bem-te-vi 

Bem-te-vi

 

O Bem-te-vi é o mais conhecido pássaro no Brasil. De coloração parda no dorso e amarelada no ventre, esta encantadora ave tem sobrancelha branca muito visível na cabeça e uma listra no alto da coroa que varia de amarelo-claro a laranja-vivo.
O Bem-te-vi se alimenta de insetos, mas também não dispensa frutas e flores de um jardim. Ovos de outros passarinhos, minhocas e até outros bichos, como a cobra, também fazem parte do cardápio deste pássaro. Mede 23 cm, em média.
O seu nome popular é onomatopéico, ou seja, ele emite um chamado, no mínimo, curioso, dando a impressão de cantar o próprio nome "bem-te-vi, bem-te-vi" . Seu canto pode ser ouvido durante o ano todo, quase todos os dias. 
Gosta de chamar a atenção cantando e se empoleirando nas antenas das casas e nos telhados. Enquanto ele canta, todos os outros pássaros ficam em silêncio. Costuma capturar peixinhos na beira dos rios e lagos de pouca profundidade e banhar-se nos tanques e chafarizes das praças.

Beija-Flor

Beija-Flor

 

Este é um charmoso gato de tamanho grande, muito parecido com o Persa, mas de pelo curto. O Exótico ideal deve aparentar um gato bem balanceado, Quem já não parou para observar um beija-flor? Seja nos jardins, nos pomares ou nas chácaras existe sempre um beija-flor que parece estar parado no ar em busca do néctar das flores e dos insetos para se alimentar. Do néctar ele retira carboidratos e dos insetos as proteínas e sais minerais. Consomem entre 6.660 e 12.400 calorias por dia. Para isso necessita alimentar-se do néctar de mais de 1000 flores. Ele não pára um só instante! 
Mas o que eles adoram mesmo é tomar banho. Pode ser na chuva, na cachoeira, num laguinho, no regador de grama, não importa. O que vale é estar debaixo d'água. Eles arrepiam as penas para facilitar a penetração da água.
Os beija-flores habitam exclusivamente o continente americano, do Alasca à Patagônia. No Brasil foram catalogadas aproximadamente 80 espécies de beija-flores, das quais 28 foram registradas no município do Rio de Janeiro.
Têm apenas dois filhotes de cada vez. O tempo de incubação dos ovos varia entre 12 e 15 dias. Os filhotes permanecem no ninho até 30 dias. Seus ovos são sempre brancos fazendo três posturas ao ano, no máximo.
Vivem de 12 a 14 anos. Atualmente, essa média é bem menor devido a devastação de seu habitat, e fica em torno de dois a quatro anos.

Cacatua

Cacatua

 

A cacatua é uma ave exótica capaz de imitar a fala humana e fazer acrobacias. Muito ativa e elegante, ela está a cada dia conquistando espaço como companheira de estimação. O que verdadeiramente faz da cacatua uma espécie diferente é a sua crista charmosa e imponente. 
De grande porte (pode chegar a 70cm), esta ave necessita de espaço, e os gaiolões individuais podem ser uma boa alternativa. A crista é erguida ou abaixada quando a ave está excitada ou alarmada. Em algumas, a plumagem é especialmente vistosa.
É aconselhável se ter um casal. Se for mais de um par, devem ser mantidos distantes, pois costumam se agredir causando ferimentos e até a morte.
Se tratada com os devidos cuidados pode viver muito. Chega a durar de 40 a 80 anos. Por isso, antes de comprar, lembre-se que a escolhida poderá passar o resto da vida em sua companhia.
A partir dos quatro anos, a cacatua está pronta para a reprodução que acontece, em geral, de outubro a março. Ela põe de dois a cinco ovos por postura e os incuba por cerca de 30 dias. O macho ajuda a chocar e a alimentar os filhotes.
Os filhotes comem sozinhos a partir dos quatro meses, em média. Alimentá-los na mão a cada 2 horas é bom para torná-los mansos.

Calopsita

Calopsita
 

Calopsita é bonita, fácil de criar e muito calma. Se acostumada desde filhote, aprende a comer na mão e a assobiar. Ela pode lhe oferecer muitas gracinhas e surpresas. 
Não incomoda seus donos nem os moradores ao redor. Sua beleza encanta os lares. Mede cerca de 30 cm, come pouco, vive muito e deve tomar sol de manhã.
Adora se alimentar de sementes e frutos no chão e no topo das árvores como as outras aves da sua espécie. A alimentação das Calopsitas deve ser composta de 20% de alpiste, 50% de painço, 15% de arroz com casca, 10% de aveia e 5% de girassol.
A Calopsita é atraente por causa da sua crista, que é diferente entre machos e fêmeas. A dos machos costuma ser amarela, com a cabeça amarela e na fêmea costuma ser cinza amarelada e a cabeça cinza. Outra característica é uma mancha vermelha circular nas laterais da face, mas são sempre mais suaves nas fêmeas.
São inúmeras as cores das Calopsitas. Muitas delas surgiram a partir da fixação de mutações feitas pelos criadores. As que são encontradas na natureza têm o corpo cinza com a borda das asas brancas. Estas são consideradas as originais.
As outras cores são arlequim, canela, cara branca, fulvo, lutino, pérola, prata recessivo, prata dominante.

Canário

Canário

 

O canário é uma das aves de estimação mais populares. O seu canto é considerado uma companhia para aqueles que se sentem solitários. As suas belas cores e os seus maravilhosos cantares apaixonam pessoas a cada dia. Esta ave divide-se em três classes: porte, canto e cor. 
As espécies de porte são caracterizadas pela linda plumagem e pela maneira como ficam no poleiro. Nesta classe incluem-se as espécies Border Fancy, Lizard e Frizados.
Os canários de canto são os mais difíceis de criar em cativeiro já que necessitam de cuidados especiais, de tratamento diário e de locais silenciosos. Os mais conhecidos desta classe são o Timbrado espanhol e o Malinois. 
Os mais fáceis de criar são os canários de cor. Considerados os mais populares, são encontradas mais de 170 cores diferentes e reconhecidas. 
Os canários adoram tomar banho, para tanto, a água deve ser fresca e limpa diariamente. As correntes de ar devem ser evitadas, porém um banho de sol (indireto) deve ser feito todos os dias. 
Eles chegam a medir de envergadura entre 10 e 12 cm e podem viver até 10 anos em cativeiro. A alimentação deve ser à base de sementes específicas para canários e como complemento podem ser oferecidos legumes e ovo cozido.

Cardeal

Cardeal

 

Calmos e sociáveis, os cardeais mantêm um bom relacionamento com outras aves. Podem ser alojados em qualquer ambiente, desde que amplo, com muito espaço para os seus movimentos, e com a presença de muitos elementos vegetais. Porém, não se recomenda criar essas aves em uma gaiola fechada. 
Na época da gestação, convém manter a ave separada de outras, pois, pode apresentar temperamento agressivo. Nesse período, alojar a ave em um ambiente maior e colocá-la em companhia de uma fêmea pode ser uma boa alternativa para tranquilizá-la.
O tamanho do cardeal poderá variar entre 21 e 23cm.

Cordoniz Japonesa

Cordoniz Japonesa

 

A Codorniz Japonesa é semelhante à Codorniz Comum, encontrada na Europa. O tom dominante na plumagem é o acastanhado escuro, com riscas claras na parte superior do corpo, enquanto que a parte inferior é significativamente mais clara. Tem uma risca pronunciada de cor clara junto ao olho. As patas e o bico são laranja acizentado ou rosa acizentado.
Podendo atingir 20 cm de altura, sua cauda, geralmente, não mede mais de 5 cm. Já o comprimento de cada asa dessa espécie de Codorniz pode chegar aos 10 cm.

Jandaia Amarela

Jandaia Amarela

 

Também é conhecida pelos nomes de jandaia-sol, cacaué, nandaia, nhandaia, queci-queci e quijuba, a jandia-amarela é uma ave da família psittacidae encontrada na região amazônica. 
Existem três espécies de jandaia bem distintas mapeadas no Brasil: a jandaia-verdadeira (Aratinga jandaya), que ocorre do Maranhão a Pernambuco e até o leste de Goiás; a jandaia-amarela (Aratinga solstitialis), típica da região amazônica, e a jandaia-de-testa-vermelha (Aratinga auricapillus), que ocorre desde a Bahia até o Rio Grande do Sul. 
No estado de Roraima os registros compreendem a região do Bonfim próximo ao rio Tacutu, as localidades próximas ao rio Surumu e Contigo, em Boa Vista nas proximidades do Rio Branco sendo que o maior número de espécies avistadas ocorreu na região do município de Normandia. 
Frequentemente confundida por periquitos, a jandaia-amarela tem a plumagem das asas mais verde quando nova, com tons amarelos e de um alaranjado intenso, com penas verde-azuladas na cauda e nas asas e alaranjados distribuídos pela cabeça, o peito e a barriga. É uma ave da família dos psitacídeos, a mesma dos papagaios, araras, periquitos e maitacas, e mede cerca de 30cm. Tem o bico preto, adaptado para partir e triturar sementes duras.

Papagaio Asa Laranja 

Papagaio Asa Laranja

 

Apesar de agitado e barulhento, o Papagaio da Asa Laranja é fácil de domesticar. Para que se sintam confortáveis, o alojamento ideal para essa espécie é uma gaiola com malha lateral horizontal. Já os poleiros, comumente usados, não são recomendados, pois impedem que a ave tenha maior mobilidade e pratique exercícios.
A gaiola em que o Papagaio irá ser acomodado deve ser espaçosa. Brinquedos e madeira para roer são essenciais para manter esta ave ocupada e saudável.

Papagaio de Fronte Azul

Papagaio de Fronte Azul

 

O Papagaio de Fronte Azul é inteligente e está entre os pássaros que melhor imitam a voz humana. Brincalhão e ativo, precisa de bastante exercícios. Além disso, necessita de atenção e carinho, pois de outra forma poderá ficar depressivo.
Uma das características que chamam atenção em sua plumagem é a presença na face e testa de penas amarelas, cada exemplar desenvolve um padrão único. A cauda é de comprimento médio e com as penas arredondadas nas extremidades. O bico dos adultos é escuro. As aves jovens têm a pelagem mais pálida e a íris castanha.

Periquitos

Periquitos

 

Os Periquitos são facilmente adaptáveis ao meio que são inseridos. O alojamento deve ser específico para a espécie, o qual pode ser encontrado em veterinárias e lojas de animais de estimação. Na preparação da gaiola, devem ser respeitadas algumas especificações tais como as caixas dos ninhos, os recipientes para água e comida própria.
Para a alimentação, atualmente, existem várias soluções preparadas para os Periquitos. Como complementação, o criador poderá dar alimentos como cenoura e couve.

Tuim

Tuim
 

O Tuim é um periquito natural da América Latina, com seis espécies brasileiras. É bonito, manso e pode ser criado em pequenos ambientes. É um exemplo de convivência harmoniosa. São pássaros dóceis, limpos e de um bonito colorido.

Também chamado popularmente de cuiúba, periquitinho, papacu ou simplesmente tuí, o Tuim é o menor da família dos Psitacídeos (a qual pertencem os papagaios), medindo aproximadamente 12 cm e pesando apenas 26g.

O casal desta espécie tem um hábito que demonstra extremo carinho: o de ficar roçando um as penas do outro. Ele emite um chiado agradável, com um som semelhante a "tuim, tuim". Mas o que eles mais gostam e se divertem bastante é o banho de chuva. Eles demonstram alegria, cantando e arrepiando as penas. Mas banhos desse tipo, ou com esguicho, muito demorados são desaconselháveis pelo perigo dos passarinhos contraírem pneumonia ou resfriado.

Na natureza, gosta de viver em bandos que variam de quatro a vinte indivíduos. Procuram alimento tanto nas copas das árvores mais altas, como em certos arbustos frutíferos. Gostam mais das sementes do que da polpa das frutas. São atraídos por árvores frutíferas como mangueiras, jaboticabeira, goiabeiras, laranjeiras e mamoeiros. Os cocos de muitas palmeiras constituem sua alimentação predileta.

Em cativeiro, a alimentação dos Tuins não difere muito daquela da natureza. Comem sementes (alpiste, painço, girassol), além de verduras, pão, biscoitos.

O Tuim apresenta coloração predominante verde, dorso azul (machos) e penas azuis embaixo das asas. É um pássaro que vive, em média, 12 anos.